No quarto de um hospital, vemos duas profissionais da saúde, uma delas entrega um bebê recém-nascido a uma mulher que está ao lado de um homem.

A temática do leite materno para a promoção da alfabetização científica

A gravidez na adolescência é uma realidade na comunidade escolar da professora de Química Pâmela Almeida. Assim, após 12 anos lecionando, ela decidiu trabalhar o tema “Leite Materno”, elaborando um projeto que desenvolvesse a Alfabetização Científica de seus alunos.

Por Pâmela Santos Galetti Almeida em set 04, 2020

A ideia surgiu quando uma aluna adolescente retornou às atividades escolares muito antes de terminar sua licença-maternidade, pois entendia que não tinha “nada para fazer em casa”. Logo, refletindo sobre o impacto que o conteúdo proposto nas aulas de Química traz para o futuro dos alunos, a professora resolveu trabalhar uma temática social que pudesse apoiar a aprendizagem, visando a formação de cidadãos mais críticos e éticos.

Imagem de duas ilustrações feitas por estudantes. Na ilustração da esquerda, há uma garrafa de leite e a descrição dos componentes do leite de vaca. Na imagem da direita, vemos uma mãe com bebê no colo e a descrição da composição do leite materno.
Imagem de duas ilustrações feitas por estudantes. Na ilustração da esquerda, há uma garrafa de leite e a descrição dos componentes do leite de vaca. Na imagem da direita, vemos uma mãe com bebê no colo e a descrição da composição do leite materno.

Registros comparativos da composição dos leites de vaca e humano. Trabalho realizado por estudantes da EEEFM Lyra Ribeiro Santos, município de Guarapari.

A metodologia aplicada foi a Aprendizagem Baseada em Problema, pois o projeto aborda questões de ordem social e ambiental condizentes com a realidade dos alunos, de forma contextualizada e transdisciplinar. O projeto foi desenvolvido em quatro etapas: criação e apresentação do cenário; levantamento de fatos e formulação das questões; aprofundamento das causas dos problemas e suas possíveis soluções, a partir do método investigativo; e, por último, os alunos analisaram as informações coletadas, para depois apresentarem o trabalho desenvolvido para toda a turma.

A partir do tema “Leite Materno”, foi possível trabalhar conteúdos da Química da Vida, como carboidratos, lipídeos, proteínas, hormônios e vitaminas. Entretanto, para a docente, o valor dessa proposta extrapola o conteúdo teórico. O principal foi abordar e debater questões sociais como: amamentação, licenças-maternidade e paternidade, políticas públicas para o incentivo ao aleitamento materno, melhor qualidade de vida e uso consciente de substitutos do leite materno. “Desenvolvemos uma bagagem para a vida do estudante, pois abordar uma temática que, em algum momento, fará parte de sua realidade e permitirá uma tomada de decisão consciente sobre a escolha ou não do aleitamento materno é imprescindível, devido aos benefícios nutricionais”, relatou a professora Pâmela.

Depoimento da professora Pâmela Santos Galetti Almeida sobre a participação no Prêmio Shell de Educação Científica

O Prêmio Shell de Educação Científica foi a valorização de um trabalho realizado com muita dedicação e esforço, mas que muitas vezes não é reconhecido pela sociedade. Isso nos motiva a realizar novos projetos que gerem mais conhecimento científico aos estudantes, de forma crítica e contextualizada, para incentivá-los a resolver problemas do cotidiano.

A participação no Prêmio Shell me proporcionou novas ferramentas pedagógicas que podem ser muito úteis dentro de sala de aula para fomentar o processo de ensino-aprendizagem. O melhor é que os benefícios dessa experiência podem ser compartilhados com outros professores das áreas de Ciências e Matemática.

Além disso, a experiência de viajar a Londres foi inesquecível, com uma programação excelente, o que, certamente, contribuiu muito para a minha formação profissional e pessoal. Os impactos foram tantos que, este ano, tenho pensado em fazer doutorado na área da Educação, desenvolvendo um projeto relacionado à saúde.

Mini-bio do Autor

Pâmela Santos Galetti Almeida, foi 1º colocada do Prêmio Shell de Educação Científica 2019, na categoria Ensino Médio – Espírito Santo. O trabalho foi desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Lyra Ribeiro Santos, município de Guarapari (ES).

Mais em Artigos e Matérias

Professores são inventores

Os professores sabem que aprendemos quando criamos e refletimos sobre nossas criações. Compartilhar esse momento do nascimento do conhecimento traz a cumplicidade, que deve ser própria das relações na escola.

STEM: educar por projetos

Na educação básica, a matemática está autonomamente contemplada, e tecnologias acompanham as ciências. Mas, para completar STEM, falta a “engenharia”.

Letramento científico e as competências socioemocionais

Preparar as novas gerações para o futuro requer uma educação que seja capaz de desenvolver competências cognitivas e competências socioemocionais, ou, em outras palavras, uma educação integral.